...

...
...

sábado, 21 de abril de 2018

Jesus foi Batizado por João Batista


Logo que cheguei, dispus as cadeiras em círculo, e sobre cada uma coloquei gravuras que retratam o nascimento, a infância e o Batismo de Jesus. Acolhi as crianças com alegria e, antes da oração, pedi que cada uma olhasse as imagens que estava cada cadeira. A seguir, convidei o grupo para se reunir em frente à imagem da Sagrada Família e perguntei se sabiam quem são as pessoas representadas na imagem. Conversei com as crianças e, após suas considerações, silenciamos para oração. Rezamos juntos: Jesus, mais uma vez nos reunimos aqui, para ficar bem pertinho do Senhor. Abençoe o nosso encontro. Abençoe cada um de nós. Nós sabemos que o Senhor é o Filho de Deus que veio para nos ajudar e ser nosso amigo. Por isso, queremos que o Senhor fique sempre conosco.

Retornando aos seus lugares, pedi a cada criança que apresentasse a sua imagem e que fizesse comentários a partir do que observa. No momento oportuno, intervi ampliando as ideiais do grupo.

Antes de iniciar o nosso tema de hoje, perguntei aos catequizandos: Com quem Jesus aprendeu a amar? (Deixei que falassem)

Jesus aprendeu a amar com Deus, seu Pai, por viver em íntima comunhão com Ele. Jesus, em suas atitudes, palavras e gestos mostra como é o amor do Pai, pois Jesus acolhe a todos, é misericordioso, é bondoso, cuida dos doentes e tantas outras coisas que ele faz. O Pai ama a Jesus a ponto de dizer que "ele é o seu Filho muito amado".

Antes de Jesus começar a sua missão, alguém preparou o povo para receber o Salvador. Como já vimos, essa pessoa foi João Batista, primo de Jesus e filho de Isabel e Zacarias. Jesus foi batizado no rio Jordão por João Batista. Deus Pai disse a todas as pessoas que lá estavam que Jesus é o seu Filho muito amado.

As histórias de João Batista e a história de Jesus se desenvolveram praticamente ao mesmo tempo. Vamos relembrar como isso aconteceu?

No sexto mês de gravidez de Isabel, Deus enviou o Anjo Gabriel à cidade de Nazaré para levar um recado a uma jovem chamada Maria, que iria se casar com um descendente de Davi, chamado José. Quando Maria deu seu "sim " a Deus para ser a mãe de Jesus, ela recebeu a notícia de que sua prima Isabel, que tinha idade avançada também estava esperando um filho.

Vocês sabem o que Maria fez quando soube que sua prima também seria mãe? Maria se aprontou e foi com pressa para uma idade da Judéia, na região montanhosa. Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. Quando ouviu a saudação de Maria, a criança se mexeu dentro dela e, Isabel, cheia do Espírito Santo, falou bem alto: "Você é a mais abençoada de todas as mulheres! E a criança que você vai ter é também a mais abençoada! Quem sou eu para que a mãe do meu Senhor venha me visitar? Logo que ouvi você me cumprimentar, a criança ficou alegre e se mexeu dentro de mim! Você é feliz por acreditar que vai acontecer o que o Senhor disse!" Maria louvou o Senhor com o Magnificat.

Maria ficou por aproximadamente três meses com sua prima Isabel. Certamente, nesse período, elas sonharam juntas com seus filhos, vivendo a espera na amizade, com gestos concretos de ajuda, fraternidade e oração.

Alguns parentes de Jesus moravam em Nazaré. Mas, outros moravam longe. Isabel e Zacarias moravam bem longe. Maria Gostava muito de Isabel. Mas era muito difícil visitar sua prima. A prima morava tão longe!

Jesus foi crescendo, crescendo ... João também foi crescendo ... Foi crescendo longe de Jesus.

José era o carpinteiro de Nazaré. Jesus auxiliava o carpinteiro de Nazaré.
- Estou contente com o meu Jesus! Como trabalha bem este menino! Até parece gente grande! Também já está quase moço! E eu estou ficando velho ... Cada vez mais velho ... Um dia ... E Jesus completou: - Um dia, já sei. Eu vou ser o novo carpinteiro de Nazaré. Não é verdade?

Jesus é o Filho de Deus feito Homem. Mas em Nazaré, quase ninguém sabia disso. E muitos davam a Jesus um apelido. O apelido era: "filho do carpinteiro".
O Menino Jesus foi crescendo, crescendo. Aos poucos ia mostrando seu saber e sua santidade. Era o mais inteligente de todos os meninos. E também o mais santo.

O tempo foi passando, passando ... Jesus ficou logo um moço forte. Por isso trabalhava muito na oficina de carpinteiro. José já estava velho. Cada vez mais cansado e fraco. Por isso, trabalhava pouco.

Um dia, José morreu. Então, Jesus ficou sendo o novo carpinteiro de Nazaré.
Jesus e João eram quase da mesma idade. Mas, cresceram longe um do outro. Eles pouco se encontravam. Quase não se conheciam.

Quando José morreu, Jesus já era moço. Ficou morando com sua mãe, na casa de Nazaré. João já era moço também. E morava num lugar deserto. Nesse lugar havia montanhas. O rio Jordão passava ali perto. João levava uma vida sem conforto. Ele se vestia com pele de camelos. E se alimentava com gafanhotos e mel. João amava muito a Deus. Ele era um santo homem. Um dia, Deus falou a João, lá no deserto: - João, você foi escolhido para dar uma boa notícia. Mas, vá falando pouco a pouco. Vá dizendo ao povo: O Messias já chegou. O Salvador dos homens já está no meio de nós. Jesus já veio à terra. Até agora quase ninguém sabe disso. Mas, daqui a pouco, Jesus vai ficar conhecido. Ele vai ensinar a todos o caminho do céu.

Estava chegando a hora de Jesus ficar conhecido. O primo João devia ir avisando o povo. Ele era precursor de Jesus. Precursor quer dizer: quem vai na frente anunciando. João começou seu trabalho com muito amor. Saiu de sua tenda, lá do alto. E procurou ficar sempre nas margens do rio Jordão. Por aí, passavam muitas pessoas. Eram viajantes que vinham de vários lugares. João batizava as pessoas no rio Jordão. Recomendava a todos que não cometessem pecados. E dizia: - A gente não deve pensar só em gozar a vida. Deve também fazer algum sacrifício, por amor a Deus.

Aos trinta anos, Jesus deixou a casa de Nazaré. Começou a viajar. Agora, Jesus queria ir ao encontro do primo. Ele sabia de tudo quanto João fazia, lá no deserto. Lá no deserto, João começou o seu trabalho. E, pouco a pouco, ia falando de Jesus. João batizava os viajantes no Rio Jordão. E dizia: - Vão se preparando. Depois de mim virá o Salvador. O Salvador vai chegar logo.

João Batista falava a verdade. Jesus até já estava no meio do povo. Tinha vindo com outros viajantes. Mas, esses viajantes não conheciam Jesus. Um dia, Jesus chegou ao rio Jordão. Chegou com outros viajantes. Ele aproximou-se de João Batista e disse: - Eu também quero ser batizado. João Batista olhou firme para aquele viajante. Ele reconheceu-o no mesmo instante. Era Jesus, o Salvador. Então, João Batista, perplexo, falou: - Como?! Eu vou batizar o Senhor? Não, isso não. Eu é que deve ser batizado pelo Senhor. Para mim isso é que está certo.Mas, Jesus insistiu: - Faça o que eu estou pedindo. Mesmo que você não entenda. João ficou calado. Obedeceu.

Assim, Jesus foi batizado.

Leitura: Mc 1,9-11

Durante o batismo de Jesus os céus se abriram e o Espírito de Deus desceu como pomba e pousou sobre Jesus e uma voz do céu disse: "Tu és o meu Filho muito amado ...".

Por que Deus, o Pai de Jesus o chama de "Filho muito amado"?

O Pai ama Jesus, seu Filho. Jesus também ama a Deus, seu Pai. Jesus o chama de Papai (na língua de Jesus é Abba). Foi Jesus que nos ensinou a chamar Deus de Pai. E nos deixou como herança uma bonita oração onde também nós chamamos a Deus de Pai nosso. Assim, nós também somos filhos de Deus.

Assim como Jesus, nós também somos muito amados por Deus. Aquela frase bonita que Deus disse no dia do batismo de Jesus vale para nós também. Nós somos os seus filhos amados em quem ele põe todo o seu carinho e seu afeto. A partir do nosso batismo, nós assumimos este compromisso de viver como filhos queridos de Deus, buscando sempre o que é bom e deixando para trás o que não presta, pois, agora, também nós estamos cheios do Espírito Santo de Deus, que é sua força em nosso coração. Pelo Batismo, estamos bem unidos a Jesus e nada pode nos separar dele.

Finalizando o nosso encontro, de mãos dadas rezamos o Pai-Nosso.

Obrigada, Senhor!

Roteiro do encontro na Página https://mgathe.blogspot.com.br/2014/02/jesus-e-o-filho-de-deus.html


ALGUMAS FOTOS DO NOSSO ENCONTRO

























































domingo, 15 de abril de 2018

A libertação do Povo de Deus Escravo no Egito

Gosto de encontros ao ar livre. De vez em quando levo a turma para fora da salinha para fazer um encontro diferente. As crianças amam! Hoje iniciamos o tema na sala e depois convidei as crianças para uma dinâmica no pátio da igreja.
Ainda na sala, recebi a turma com carinho. Cantamos uma música bem animada que fala do amor de Deus por cada um de nós. A seguir, silenciamos para oração. Motivei: Agora, nós vamos conversar com Deus. E vamos pedir a Ele que venha abençoar todos nós e aquelas pessoas que mais estão precisando de ajuda. Vamos rezar por nós, por nossos pais, por nossos irmãos, por nossos amigos, pelos doentes... Cada um pode fazer sua oração. E todos vamos responder: "Senhor, venha nos abençoar." Depois das preces espontâneas, repetimos, todos juntos: "Venha, Senhor, abençoar a todos nós, porque somos o seu povo. Queremos ser fortes e corajosos para viver com o Senhor por toda a nossa vida. Queremos também que o Senhor nos ajude sempre e nos defenda de todo mal. Amém!"
Terminada a oração, lembramos que no nosso último encontro, vimos como José, filho de Jacó, se tornou o governador do Egito. Hoje, iniciando o nosso tema, falei para os catequizandos como a família de Jacó foi parar no Egito, onde mais tarde o povo de Deus acabou ficando escravo. Para vencer a escravidão, o povo tinha de sair do Egito e ir para uma outra terra, onde tivesse liberdade. Vimos como o povo se organizou para sair do Egito. Não foi fácil, mas Deus abençoou a luta do povo, porque Deus abençoa todo povo que se une em busca da liberdade e de uma vida melhor.
Conhecemos hoje a história de um dos maiores líderes de todos os tempos: Moisés. Ele viveu aproximadamente em 1250 a.C. Moisés foi escolhido por Deus para libertar o povo e conduzi-lo à grande aliança com Deus.
Depois fomos para o pátio da igreja, onde preparei um caminho com paradas ou estações (como as da Via Sacra) para ilustrar a caminhada do povo de Deus.
Nesse caminho, vivenciamos os momento mais significativos da vida de Moisés, cujo nome significa "salvo das águas". Na última estação ou parada, chegamos à Terra Prometida. Então disse-lhes, antes de entrar: "Moisés conversou com Deus diante de uma árvore que queimava. Nós temos algo que Moisés ainda não tinha: podemos falar com o próprio Cristo. Vamos apresentar a Jesus tudo aquilo que nos escraviza e pedir a Ele para que nos ajude a libertar-nos de tudo aquilo que atrapalha a nossa vida". (Pedi para os catequizandos tirarem o calçado e, em silêncio se aproximassem da cruz. Entreguei para cada um uma tira de papel já preparada e motivei-os para que colocassem o papel diante de Jesus, um de cada vez, dizendo-lhes para expressarem através de uma prece o que é necessário para fazer a libertação das situações de opressão apresentadas nas tiras de papel). Conversamos sobre o preconceito, desunião, ódio, falta de fé, fome, pobreza, intolerância religiosa, racismo, guerra... Comentei sobre a guerra que está acontecendo na Síria, que já deixou mais de 1.000 crianças mortas ou gravemente feridas desde que 2018 começou.
A seguir, de mãos dadas, rezamos a oração do Pai-Nosso.
Roteiro completo deste encontro aqui no blog na página https://mgathe.blogspot.com.br/2014/02/moises-o-libertador-de-seu-povo.html
ALGUNS MOMENTOS DA DINÂMICA SOBRE A CAMINHADA DO POVO DE DEUS